Não cometa esses 7 erros comuns e saia na frente dos concorrentes em concursos públicos jurídicos

Não cometa esses 7 erros comuns e saia na frente dos concorrentes em concursos públicos jurídicos

Muitas vezes, na ânsia de alcançar uma boa preparação para um concurso público o candidato acaba cometendo erros que são muito comuns. Elencamos abaixo 7 erros muito comuns que o candidato não deve cometer para aumentar as chances de ser aprovado num concurso público jurídico:

1. Falta de foco

Uma das primeiras coisas que o candidato deve saber é o cargo que gostaria de ocupar. Isso te fará começar os estudos comprometido com um processo que você sabe ou deveria saber que será de médio/longo prazo.

Além disso, não “atire para todo lado”. Caso seu foco seja os concursos da área jurídica, não saia fazendo todo concurso que abre, independentemente do conteúdo programático e da área. Concursos jurídicos em geral têm pouco a ver com os da área fiscal ou de controle e poucas disciplinas em comum com concursos de nível médio.

Não há problema fazer vários concursos. Fazer prova é ótimo para treinar e acessar o seu nível de conhecimento em determinada fase dos estudos. Estabeleça uma ou duas provas “A”. Os cargos que são do seu máximo interesse. No meio do caminho, faça mais provas, de prioridade B ou C. Mas essas provas devem ter em comum pelo menos 70/80% do conteúdo da sua prova A.

2. Pressa para ser aprovado

É claro que todo mundo que ser aprovado o mais rápido possível para o melhor concurso possível. Isso não é ruim, desde que a atitude seja canalizada da forma correta. A atitude errada, muito comum, é a de concentrar um esforço enorme em um espaço curto de tempo, escolhendo o material mais resumido do mercado e, dentro disso, ainda tentando adivinhar os tópicos que irão cair. As chances de isso dar certo são mínimas, especialmente se você nunca se deu tempo para construir uma base sólida de conhecimento.

Conhecimento leva tempo para ser adquirido, mais tempo ainda para ser sedimentado. Para se tornar competitivo no mundo dos concursos jurídicos, você terá que praticar, ler e reler muitas vezes as mesmas coisas, às vezes no mesmo material, às vezes tendo que complementar seu material com outros materiais.

Não há atalhos. O que se pode fazer para acelerar os resultados é estudar o máximo de horas possíveis por dia (com qualidade), pelo maior número de dias possível e fazendo com que cada hora estudada renda o máximo possível.  Assim o avanço nas disciplinas será o mais rápido possível, mas da forma correta. Em outras palavras, quanto maior o sacrifício de tempo livre, mais rápido virão os resultados, desde que não se sacrifique a qualidade do material e do método de estudos aplicado.

3. Falta de método

Você deve adotar o método mais adequado para se preparar para o cargo que almeja. Concursos da área jurídica em geral contam com fases discursivas e orais. Isso deve ser levado em consideração no início da preparação, pois influencia na escolha dos materiais e na forma como se lê cada material. O método mais adequado para esse tipo de concurso é o de estudar duas disciplinas por vez, começando pelas que sejam mais importantes para o respectivo cargo, sempre buscando casar matérias que se entrelacem, justamente porque facilita esse processo de aprendizado fundado no estudo contextualizado e aprofundado dos temas mais relevantes de cada capítulo.

É importante estabelecer algum critério para escolher por qual disciplina começar a preparação. O critério mais útil é o de começar pelas que sejam mais importantes para o cargo que se tem em vista. Mas com ponderações. Uma vez que você entende o mecanismo de uma disciplina, muito mais fácil será entender as leis que a regem e a jurisprudência correspondente. Esse conhecimento esclarecido, contextualizado e fundamentado ajuda demais nas fases mais agudas do concurso, que são as provas discursivas e orais.

4. Não ler o edital

O candidato deve ler o edital do concurso que vai prestar! Esse é o ponto de partida da sua trajetória. É de extrema importância fazer uma análise de quantas questões serão cobradas no certame, se uma questão errada anula uma correta, a data da prova, a matéria que será cobrada etc.

5. Não ter conhecimento sobre a banca examinadora

Faça dezenas, se puder, centenas de questões já aplicadas pela banca que vai realizar o concurso que você vai prestar! Isso é fundamental para você compreender o perfil da banca que vai realizar o concurso e também vai ajudar na velocidade para resolver as questões no dia da prova.

6. Estudar com base em estatísticas do que foi mais cobrado em provas anteriores

Amigo, o edital é extenso justamente para dar liberdade para o examinador cobrar o que ele bem entender! Não é porque, na prova anterior, caiu mais um determinado assunto que isso vai se repetir! Não se engane! Esgote o edital e não fique fazendo essas estatísticas malucas!

7. Não criar um cronograma de estudos

Planeje seus horários de estudo e procure cumpri-los. Tem gente que trabalha meio período e não arruma tempo para estudar e tem gente que trabalha o dia todo e, mesmo assim, consegue estudar.

Você deve ter uma organização eficiente! Tenha um planejamento semanal. Coloque o horário de estudo, o horário de trabalho, o horário da atividade física etc.

 

 

* Fonte: VP Concursos e Gran Cursos Online

Compartilhe nas Redes Sociais...Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn